Entendendo a dinâmica dos negócios

Muitos empreendimentos são abertos diariamente sem um mínimo de planejamento. Alguém tem a ideia de um produto ou serviço, abre as portas e voilà!

Todo empreendedor experiente ou instruído sabe que as coisas não funcionam assim.

Não à toa, a taxa de mortalidade das empresas é altíssima no Brasil. Segundo o SEBRAE, mais da metade das empresas fecham as portas em até 2 anos.

O sucesso não vem por acaso. Os empreendedores de destaque entendem a dinâmica dos negócios e utilizam a observação que fazem do mercado para estruturar suas empresas.

Dentre os aspectos mais importantes a se considerar, estão:

  • A lei da oferta e da demanda
  • Ciclo de vida de produtos ou serviços
  • Cadeia de valor

A lei da oferta e da demanda

Também conhecida como Lei da Oferta e da Procura, esta lei descreve o comportamento dos consumidores na aquisição de produtos e serviços.

Em um período onde a oferta de um produto é muito maior que a procura, ou seja, há abundância do produto no mercado, seu preço tende a cair.

De modo equivalente, em períodos onde a demanda excede muito a oferta, ou seja, há escassez do produto no mercado, a tendência é o aumento do preço.

O empreendedor precisa entender que não é apenas a disponibilidade e o preço dos produtos que influenciam as decisões de compra, mas também as necessidades e desejos das pessoas, o poder de compra, a concorrência, a existência de produtos complementares ou substitutos, etc.

O ciclo de vida de produtos e serviços

Quando um empreendedor abre um negócio, ele espera que seu produto ou serviço tenha uma vida longa e rentável.

Nenhum produto ou serviço é eterno. Por força do “processo de destruição criativa”, conforme conceituado por Joseph Schumpeter, o produto passará pelas seguintes fases:

  • Desenvolvimento do produto ou serviço
  • Introdução do produto ou serviço no mercado
  • Crescimento de vendas do novo produto ou serviço
  • Maturidade do mercado
  • Declínio

Na fase de desenvolvimento do produto ou serviço, o candidato a empreendedor acumula custos crescentes ou prejuízo. Na fase de introdução, o prejuízo começa a ser absorvido pelo lucro das vendas iniciais. Na fase de crescimento, as vendas disparam, assim como o lucro. Atingida a maturidade, as vendas chegam ao máximo e o lucro começa a diminuir por causa da crescente concorrência atraída pelo sucesso do produto ou serviço na fase de crescimento. Na fase de declínio, as vendas começam a cair e o lucro também, até que o produto ou serviço desapareça do mercado substituído por outro mais barato, mais eficiente ou ambas as coisas.

O empreendedor tem a missão de encontrar um produto ou serviço que tenha o potencial para ser um sucesso de vendas. Em segundo lugar, é necessário administrá-lo corretamente em todos os estágios de seu ciclo de vida, e assim maximizar o lucro. Durante o declínio, pode ser necessário desenvolver uma nova geração e estender sua vida, ou desenvolver um novo produto ou serviço.

A cadeia de valor

É o conjunto de todas as atividades necessárias para a entrega de um produto ou serviço ao consumidor final, desde as relações com os fornecedores, até os ciclos de produção, vendas e a distribuição final.

Um retalho de tecido, por exemplo, tem um determinado valor antes de o sapateiro transformá-lo em sapato. O sapato tem um valor maior se comercializado sob uma marca famosa em um shopping da moda. O mesmo sapato sem o valor agregado da marca tem menos valor se vendido num supermercado.

O papel do empreendedor é analisar a cadeia de valor do negócio em comparação aos concorrentes, objetivando maximizar o valor agregado nas atividades da cadeia de valor e minimizar seu custo em relação aos concorrentes.

Veja neste artigo como criar valor para o consumidor e desenvolver um modelo de negócios bem estruturado para obter um empreendimento competitivo.

O Plano de Negócios é um instrumento que pode guiá-lo na definição de sua empresa, fazendo-o evitar os erros mais comuns e auxiliando-o no planejamento de uma empresa bem estruturada. Clique aqui para criar o seu.